segunda-feira, 31 de julho de 2017

Eu recomendo, conferi, conheci #6 - Só filmes!!!

        Nesse semestre, as minhas dicas de favoritos aqui no Blog vai ser diferente: Só filmes do catálogo da Netflix (produções originais) que tem a ver com alimentação e saúde!!! Vem comigo:

1. "O mínimo para viver" (To the bone): O filme, ao longo da história, destrincha todo o processo pelo o qual as pessoas que vivem a realidade dos distúrbios alimentares. A atriz Lily Collins, no papel principal, passou por uma grande transformação para esse trabalho, vivendo uma jovem com anorexia que é internada em uma clínica de recuperação. É uma história inspirada em fatos reais e cheia de nuances, que em algumas partes, pode até chocar algumas pessoas
. É polêmico, e procura trazer uma grande lição para todo o seu público.




Resultado de imagem para embrace documentario2. "Embrace": Porque tantas mulheres odeiam os seus corpos? Essa pergunta motivou a ativista Taryn Brumfitt  a ir atrás dessa resposta nesse documentário, sendo que ela mesma vivenciou esse dilema na sua vida após se tornar mãe e três filhos. Um belo retrato das mulheres no mundo atual!




Resultado de imagem para what the health3. "What the health": Esse documentário parte do princípio de que uma dieta com mais alimentos de origem orgânica e vegetal é a melhor saída para se ter uma saúde plena. O link entre o que a indústria faz para consumirmos produtos animais e farmacêuticos faz repensar o estilo de vida moderno e o que comemos. 



Resultado de imagem para betting on zero4. "Betting on zero": A intenção desse documentário é desvendar o que há por trás da empresa Herbalife, vendedora de "produtos nutricionais". Mostra o modo de exploração dos seus idealizadores no mercado latino, trazendo a ilusão do sonho de lucro para muitos. Gerou muita polêmica também, pois após ser censurado em inúmeros lugares, está no disponível catálogo da nossa amada Netflix.



Continue acompanhando as postagens do Blog, vídeos e nas redes sociais! Até mais!
Facebook: /blogsemeandosaude
Instagram: @semeando_saude

quinta-feira, 27 de julho de 2017

A função das gorduras no organismo - #nutriresponde

         As gorduras exercem funções importantes no organismo e, se consumidas na quantidade e o tipo certo, elas dão um verdadeiro "up" na sua saúde. Acompanhe abaixo alguns desses papéis importantes:
- Fornecer energia para o corpo (1 g = 9 kcal);
- Transportador das vitaminas A, D, E e K e também de muitos hormônios;
- Auxiliam na formação de sais biliares no fígado, dando suporte no processo de digestão;
- Protegem órgãos e mantêm a temperatura do corpo estável;



         Na parte alimentar, as gorduras também contribuem para dar mais sabor aos alimentos que ingerimos. Gostou? Então continue acompanhando as redes sociais e se inscreva no Canal Semeando Saúde no youtube. Até mais!
       Facebook: /blogsemeandosaude
       Instagram: @semeando_saude

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Plano Alimentar para ganhar peso - Como funciona

      Olá! Existem pessoas que procuram os serviços de um profissional Nutricionista para o ganho de peso, ou melhor, de massa magra. E, para isso, o paciente deve estar ciente de alguns detalhes antes de começar o seu plano alimentar.
      Para o ganho de massa magra, deve ser investigado, primeiramente, o motivo pelo o qual a pessoa não ganha peso. Para isso, pedem-se exames junto ao endocrinologista. Então, o Nutricionista pode investigar já pela parte alimentar o por que esse indivíduo não atinge o seu objetivo. Também levamos em consideração a prática ou não de atividade física no cotidiano dessa pessoa, favorecendo o ganho de massa muscular.
     É feita a distribuição calórica dos macronutrientes, para que o paciente ingira o que é necessário para ele. São repeitados horários das refeições e os alimentos que serão utilizados, evitando o consumo de produtos não-saudáveis. A avaliação nutricional é acompanhada constantemente, para a verificação dos resultados.

      Gostou? Acesse as redes sociais e se inscreva no canal Semeando Saúde no youtube. Até mais!
      Facebook: /blogsemeandosaude
      Instagram: @semeando_saude
 

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Respondendo a questões sobre vegetarianismo

     Olá! Estou aqui novamente no blog para responder questões que o Canal Animadruga me fez a respeito do Vegetarianismo, em comentário no meu vídeo sobre o assunto lá no Youtube. Seguem as questões:


1- Se podemos matar a fome sem comer os animais, e ainda sermos saudáveis, então por que comer os animais? 

Se alimentar de animais ou não, como disse no vídeo anterior, é uma questão pessoal. Está muito ligada a cultura e a religião de cada indivíduo, e essa decisão deve ser respeitada. O dever do Nutricionista é garantir com que o paciente, tendo ou não essa opção, se alimente da forma mais equilibrada e saudável possível, indicando os melhores tipos de alimentos dentro do que pessoa faz o consumo.
2- Se eu quiser ser um vegano saudável, eu devo me entupir de suplementos?
Não necessariamente. O que pode ser feito é o acompanhamento através de exames que podem identificar, ou não, a deficiência de algum nutriente no organismo. Esse acompanhamento é importante para todas as pessoas, não apenas para veganos. Apenas se for detectada uma deficiência nutricional muito grande, em que a alimentação por si só não pode suprir, lançamos mão da suplementação. 

3- Comer animais que recebem suplementos tem o mesmo efeito que ingerir suplementos diretamente?
Sim. O corpo humano tende a metabolizar esses suplementos adicionados nos alimentos de forma indireta.
4- A partir de que classe social é possível ser vegano? Quanto se gasta por mês? Em todas as classes sociais é possível ter uma alimentação vegetariana. Se ela for devidamente planejada, com o consumo dos produtos da época e da região, é possível ter pouco gasto com esses tipos de alimentos.
5- Quais seriam as principais causas de morte entre os veganos?
Está certo de que as maiores causas de morte hoje em dia na população em geral está relacionada a obesidade, ao sedentarismo e a hábitos não saudáveis (como o tabagismo e alcoolismo), como as doenças cardiovasculares, cânceres, entre outros. Os vegetarianos geralmente demonstram um estilo de vida mais favorável, porém, do que a população onívora, fazendo menos uso de cigarros, consumindo menos bebidas alcoólicas e realizando mais atividade física e estando menos em sobrepeso ou obesidade, levando, então, vantagens em ter uma melhor expectativa de vida nesses quesitos.
6- Quais seriam as principais causas de morte entre os onívoros? Respondida junto com a questão 5.
7- Quem tem maior longevidade, o vegano ou o onivoro? Respondida junto com a questão 5.
8- O que é mais saudável: o leite animal ou o leite vegetal?
O leite vegetal apresenta como vantagens sobre o leite animal ser isento de gorduras saturadas (derivadas de produtos animais e que em grande quantidade no organismo geram problemas de saúde crônicos), poder ser consumidos por alérgicos ou intolerantes ao leite de vaca. O teor de cálcio e outros nutrientes dos vários tipos de leite existentes pode variar. Por isso, de acordo com cada caso, o médico ou nutricionista irá indicar qual o melhor tipo consumir.

9- A alimentação vegana tem contra-indicações? Não há contra-indicações de nenhuma forma para a dieta vegetariana, desde que bem planejada e acompanhada por bons profissionais.
10- Como denunciar um medico ou nutricionista que diz aos seus pacientes que o vegetarianismo não é saudável?
Você pode recorrer ao Conselho Regional de Medicina ou Nutrição, por qualquer meio, para qualquer denúncia de desrespeito cultural, religioso ou ideológico por parte do profissional para o paciente.
11- Dentre um vegano e um onivoro que tem uma alimentação não-organica, quem se intoxica mais?
Do ponto de vista de que estamos cercados por plantações que são tratadas com defensivos agrícolas altamente perigosos a saúde, também os níveis de toxicidade em vegetais pode ser grande como os de produtos cárneos não-orgânicos, trazendo também riscos à população vegetariana. Os onívoros, por sua vez, consumindo carnes e vegetais adicionados em sua produção hormônios e substâncias que podem ser prejudiciais, correm também um risco igual ou maior dependendo da quantidade incorporada desses produtos na alimentação. Por isso, os produtos orgânicos são sim uma escolha saudável para qualquer tipo de pessoa.
12- Quais os alimentos veganos que dão mais saciedade?
Em geral, a alimentação vegana, estando cercada de cereais, grãos, frutas, legumes e hortaliças ricos em fibras alimentares, dão uma sensação de saciedade muito boa se comparada a uma dieta pobre nesses itens, tendo também uma digestibilidade bem mais favorável. 
13- Quais são os alimentos veganos mais saborosos, baratos e convenientes de encontrar?
Existem hoje mais opções de produtos no mercado para a população vegetariana, como derivados de soja e outros grãos bem saborosos e que podem ser convenientes em todo o país do que a tempos atrás. Em termos de menor custo, apostaria, como já disse anteriormente, nos vegetais da época e da região, que têm o preço muito mais em conta.
14- Qual a diferença entre alimentação vegetariana Estrita para alimentação vegetariana Restrita?
A alimentação vegetariana estrita é a nomenclatura mais aceita para a isenta de todo o tipo de produto de origem animal (incluindo leite animal, queijos, mel, ovos, frutos do mar, etc.). Os considerados veganos, além de não terem na alimentação nenhum tipo de componente animal, também evitam consumir elementos não alimentícios no seu cotidiano.
15- Vc já chegou a preparar/comer versões veganas de feijoada, sushi, moqueca, estrogonofe, vatapá, hamburguer, nugget, salsicha, linguiça, coxinha, lasanha, yakisoba, sopa, risoto, pizza, queijo, bolo, torta, brigadeiro? Se já comeu, as versões veganas são mais gostosas ou menos saborosas que as versões feitas de corpos mortos de animais/excrementos de animais?
Eu gostaria muito de ter a oportunidade de experimentar esses pratos. Já pesquisei algumas receitas veganas e parecem ser muito saborosas!

Fonte: www.svb.org.br
"Os textos desse blog são apenas informativos. Nada substitui o acompanhamento nutricional realizado pessoalmente".