quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Sucos desintoxicantes - Dica de Verão

      Festas de final de ano, viagens, férias... Todo mundo costuma abrir mão da sempre regrada rotina (quem tem uma regrada rotina...) para abusar na comida e na bebida. Aqui então, seguem algumas receitas bem gostosas de sucos desintoxicantes para refrescar o calorão e dar uma mãozinha para quem quer reverter todos os excessos cometidos nessa época do ano:



Abacaxi com maçã, gengibre e couve
Corte 2 fatias grossas de abacaxi, 1 maçã sem sementes, 1 folha grande de couve manteiga, 1 rodela de gengibre e adicione o suco de 1 limão. Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva a seguir.

Suco de uva refrescante
Coloque 1 xícara de uvas sem sementes, com 3 ramos de hortelã mais o suco fresco de 1 limão para bater no liquidificador. Sirva após coar em uma peneira.

Manga, laranja e morango
Pique e descasque 1 manga e 6 morangos. Adicione o suco fresco de 2 laranjas. Misture os ingredientes anteriores com 3 ramos de hortelã no liquidificador. Bata tudo e sirva a seguir.

Suco de frutas refrescante
Pique 1 maçã verde sem sementes, 1 kiwi, 1/2 maço de hortelã e adicione o suco fresco de 1 limão. Passe pela centrífuga e sirva a seguir.

         Lembrando que a ingestão de líquidos é super importante para a manutenção do nosso organismo sempre!!! Além do sucos naturais de frutas, água e água de coco são indispensáveis no verão para a hidratação diária. Espero que o ano de 2013 seja bem especial com muita saúde para todos!!!! Até mais!!!

Fonte: TRUCON, C. Alimentação Desintoxicante: Para ativar o sistema imunológico. 6ª ed. São Paulo: Ed. Alaúde; 2009

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Especial - Amaranto

        O Amaranto é um tipo de produto difícil de ser encontrado em qualquer prateleira de supermercado. Porém, suas funcionalidades são inúmeras para o organismo: ele é  fonte de nutrientes, como a fibra alimentar, vitaminas A e C e alguns minerais importantes, como o Cálcio.
        A semente pode ser encontrada moída, inteira e até ser estourada, como pipoca. Uma sugestão de consumo na culinária é adicionando o grão em flocos em massas integrais, como no caso da receita de "Pastel de forno com Amaranto", a seguir:

Pastel de Forno com Amaranto

Ingredientes - Massa
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo (175 g)
1/2 xícara de farinha integral (56 g)
1 xícara (chá) de amaranto (115 g)
1 colher (chá) de sal (5,3 g)
1 colher (sobremesa) de fermento em pó 
3 colheres (sopa) de óleo (24 ml)
aproximadamente 1 xícara (chá) de água morna

Recheio:
1 cebola pequena (86 g)
2 tomates médios picados (168 g)
100 g de ricota
1 copo de requeijão cremoso (250 g)
1 maço de brócolis (140 g)
1 colher (café) de mostarda (5 g)
3 dentes de alho (10 g)
Sal e orégano a gosto 
1 colher de azeite (8 ml)

Modo de preparo
          Para a massa, misture todos os ingredientes secos em uma tigela a ordem acima descrita. Adicione óleo e água aos poucos, até ficar uma massa elástica e macia. Deixe descansar por 10 minutos.
           Para o recheio, cozinhe o brócolis por cerca de 10 minutos, ou até que ele fique "al dente". Escorra e reserve. Refogue em outra panela o azeite, alho e cebola até dourar. Acrescente o tomate e deixe a mistura em fogo baixo até que saia boa parte da água contida nela. Acrescente os temperos e o requeijão. Reserve para que esfrie.
           Abra a massa reservada anteriormente com um rolo, não deixando que ela fique muito fina. Molde com um utensílio de formato redondo a massa, coloque o recheio e feche com o auxílio de um garfo. Pincele com um preparado de café solúvel e água morna, para que a superfície fique dourada. Leve ao forno por aproximadamente 20 minutos a 180° C. Sirva quente.

Rendimento: 16 pastéis (porção 57 g)
Valor calórico por porção: 170 kcal
        


     
          Essa receita possui, dentre outras características interessantes, ótima aparência, cor, sabor, textura e odor. Têm baixo valor de colesterol, já que a massa é isenta de ovo e o recheio pode ser apreciado por  diversos grupos, como crianças, adolescentes e vegetarianos. Se preferir, o recheio pode ser substituído por frango refogado com requeijão. Aproveite para reunir os seus amigos para um lanche saudável e delicioso!!!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Ervas e especiarias


     Condimentos ou temperos são definidos pela legislação como “... produtos constituídos de uma ou diversas substâncias sápidas, de origem natural, com ou sem valor nutritivo, empregado nos alimentos com o fim de modificar ou exaltar o seu sabor”. Eles foram classificados em glutamato monossódico, sais sódicos dos ácidos ribonucléicos e especiarias ou condimento vegetal (CNNPA, 1978). 
      Especiarias ou condimentos vegetais são os produtos constituídos das partes (raízes, rizomas, bulbos, cascas, folhas, flores, frutos, sementes, talos) de uma ou mais espécies vegetais.  As especiarias podem estar constituídas na sua forma genuína e pura ou em misturas das mesmas em um mesmo produto (CNNPA, 1978).
Os temperos são constituídos das misturas dessas especiarias, e de outro(s) ingrediente(s), servindo como agregador de sabor ou aroma a alimentos e bebidas, e podem ser denominados como “condimento preparado”, seguido do ingrediente que caracteriza o produto (ANVISA, 2005).
       Dentre as principais especiarias, estão: açafrão, baunilha, camomila, canela, coentro, cominho, cravo, cúrcuma, erva-doce, funcho, gengibre, louro, Mangerona, noz-moscada, mostarda em pó, orégano, pimenta-jamaica, pimenta-do-reino e pimentão em pó  (CNNPA, 1978).
         Portanto, use e abuse das ervas e especiarias para deixar o seu alimento com um toque especial no sabor, e, ainda por cima, muito mais saudável. Conheça um pouco a história da utilização das ervas e condimentos pela nossa civilização e um pouco mais sobre algumas das principais ervas e especiarias na culinária atual.

      Histórico:

Desde a Pré-História, a humanidade tem descoberto inúmeras utilidades para ervas e especiarias. Elas foram ganhando mais importância para o comércio dos países que comandaram a economia mundial durante muito tempo até a Idade Moderna. Em regiões como na China, Egito, Oriente Médio, Grécia e Roma apenas esse produto fez parte da riqueza dessas nações durante muito tempo, mas somente após a era do Descobrimento, ele começou a ser difundido pela Europa por intermédio dos portugueses (ANTUNES, 1997).
A pimenta, o gengibre, a canela, o cravo e a noz moscada do Oriente serviram como moeda de troca no escambo de metais preciosos, ferramentas e outros produtos europeus.  Os portugueses buscaram não só especiarias na Índia, mas também na África, como a pimenta malagueta, no século XV (ANTUNES, 1997).
As utilidades eram inúmeras: condimentos ajudavam a reduzir o odor dos alimentos que passavam muito tempo em períodos de salga e fumagem (como carnes), que eram escassos principalmente durante o Inverno, e apenas as famílias mais abastadas tinham acesso. Também eram fabricados perfumes, cores de tinturaria e também remédios à base de ervas (ANTUNES, 1997).
Na era contemporânea, após a Revolução Industrial, se tem feito uso de ervas e especiarias como parte da ligação das características sensoriais dos alimentos industrializados com aqueles o qual os consumidores já estão mais habituados, dando um aspecto mais “caseiro” e mais saudável a diversos produtos alimentícios (ANTUNES, 1997). 

Principais ervas e especiarias e suas utilidades:

- Canela



A canela tem como propriedades principais ação analgésica, anti-séptica, estimulante digestivo e tônico estomacal.  É utilizada na cozinha principalmente em preparações doces, como pudins, mingaus, cremes, canjica, arroz doce, banana frita e outros tipos de massas doces (biscoitos, bolos e tortas).  Ela geralmente é incluída em pó, salpicada por cima da receita ou inteira, como no caso dos chás e outras infusões (CAJAÍBA; ARAÚJO; BARBOSA, 2007; TRUCON, 2009).

- Manjericão


Na culinária, é ingrediente de preparações a base de molhos de tomate (macarrão, pizzas, etc). Pode ser incluída também em saladas, carnes diversas, arroz, legumes e ovos. Há a possibilidade de misturá-lo com outras ervas, e pode ser consumida em folhas frescas ou secas. Seu poder aromático é alto (CAJAÍBA; ARAÚJO; BARBOSA, 2007).
Possui poder sedativo (sendo usado em tratamentos com aromaterapia), combatendo dores de cabeça e gastrites. É digestivo e antioxidante (TRUCON, 2009; CAJAÍBA; ARAÚJO; BARBOSA, 2007).

- Pimenta-do-reino


A coloração do condimento se difere conforme o seu método de colheita e conservação, sendo a do tipo verde comercializada em conserva, a preta e a branca são encontradas com maior frequência moídas. É um tipo de especiaria de utilização muito versátil, sendo incluída em preparações como marinadas, embutidos, patês, conservas, e em outras preparações em geral quentes ou frias (CAJAÍBA; ARAÚJO; BARBOSA, 2007). 



Referências Bibliográficas

1.BRASIL, Agência Nacional da Vigilância Sanitária. Resolução - CNNPA nº 12, de 1978. Padrões de identidade e qualidade para os alimentos e bebidas.
Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/12_78_condimentos.htm> .

2.BRASIL, Agência Nacional da Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 276, de 22 de setembro de 2005. Regulamento técnico para especiarias, temperos e molhos.
Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/c8b2040047457a8c873cd73fbc4c6735/RDC_276_2005.pdf?MOD=AJPERES>.

3.ANTUNES, P. S. C. Avaliação da qualidade microbiológica de canela, pimenta preta e pimenta branca. Curso de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto: Porto, 1997.

4.TRUCON, C. Alimentação Desintoxicante: Para ativar o sistema imunológico. 6ª ed. São Paulo: Ed. Alaúde; 2009. p. 183.

5.CAJAÍBA, A P S; ARAÚJO, J M E; BARBOSA, M F. Utilização de ervas e especiarias como alimento funcional na gastronomia hospitalar. Universidade Anhembi Morumbi: São Paulo, 2007.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Prefira vitaminas naturalmente



              Nutrientes são essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Carboidratos, proteínas, lipídeos, vitaminas e sais minerais devem ser incluídos na alimentação para colhermos seus benefícios na saúde. Cada um desses componentes exerce uma função diferente. Se ingeridos em quantidades incompatíveis com as nossas necessidades diárias, podem advir sérias conseqüências.
            Os alimentos disponíveis para o nosso consumo no dia a dia contém diferentes valores desses nutrientes. Muitos deles feitos industrialmente estão fora do padrão de qualidade nutricional estipulado pelos órgãos competentes, sendo que o seu consumo excessivo poderá acarretar sérias conseqüências, como a obesidade e avitaminoses. Suplementos nutricionais também têm servido de válvula de escape pra quem acha que está com carência dessas substâncias no organismo.
               Mas, apesar da tecnologia dos alimentos e da indústria ter empregado substâncias nocivas à saúde para chamar a atenção do consumidor para as características sensoriais de seus produtos, ela hoje é também aliada no bem-estar da população. Os nutrientes adicionados artificialmente nos alimentos industrializados procuram suprir a carência nutricional gerada pela falta de consumo dos alimentos com substâncias mais naturais.
           


VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS
(solúveis em água)

VITAMINA B1 (TIAMINA)
Função: Ajuda a retirar energia dos carboidratos.
Fontes: Carnes, cereais, verduras e legumes.
Sintomas de deficiência: Beribéri (inflamação e degeneração dos nervos).
Excesso: Grandes doses podem interferir no metabolismo de outras vitaminas do complexo B.

VITAMINA B2 (RIBOFLAVINA)
Função: Ajuda na quebra de proteínas e carboidratos, proporciona pele, unhas e cabelos saudáveis, auxilia na cicatrização e beneficia os olhos e alivia o cansaço visual.
Fontes: Laticínios, carnes, cereais e verduras.
Sintomas de deficiência: Fissuras na pele e fotofobia.

VITAMINA B3 OU PP (NIACINA OU NICITINAMIDA)
Função: Atua no metabolismo energético.
Fontes: Carnes magras, carnes de aves domésticas, peixes, levedo de cerveja e amendoins.
Sintomas de deficiência: Pelagra (lesões na pele, diarréias e distúrbios nervosos).
Excesso: Pode ser prejudicial a pessoas com asma ou doença de úlcera pélvica.

VITAMINA B5 (ÁCIDO PANTOTÊNICO)
Função: Atua no metabolismo energético.
Fontes: Está presente em todos os vegetais e animais. Fontes excelentes são: gema de ovo, rim, fígado e leveduras. Fontes satisfatórias: brócolis, carne bovina magra, leite desnatado, batata doce e melaço.
Sintomas de deficiência: Anemia, fadiga, dormência nas mãos e nos pés.

VITAMINA B6 (PIRIDOXINA)
Função: Ajuda na quebra de proteínas e glicose, funcionamento do sistema nervoso e também na saúde da pele.
Fontes: Fígado, carnes, peixes, trigo, leite, batata, banana e aveia.
Sintomas de deficiência: Dermatite, atraso no crescimento, sintomas mentais e anemia.

 VITAMINA B7 OU H (BIOTINA)
Função: Formação de ácidos nucléicos, aminoácidos e glicogênio.
Fontes: Legumes, verduras e carnes.
Sintomas de deficiência: Distúrbios neuromusculares e inflamações na pele.


VITAMINA B9 (ÁCIDO FÓLICO)
Função: Ajuda a constuir DNA e proteínas.
Fontes: Vegetais de folhas verde-escuras, cenoura, fígado, gema de ovo, melão, abricó, abóbora, abacate, feijão, trigo integral, farinha de centeio.
Sintomas de deficiência: Anemia macrocítica nutricional e problemas gastrointestinais.

VITAMINA B12 (COBALAMINA)
Função: Formação de ácidos nucléicos e de aminoácidos. É essencial para o funcionamento normal do metabolismo de todas as células, especialmente para aquelas do trato gastrointestinal, medula óssea e tecido nervoso.
Fontes: Carnes, ovos e laticínios. Alimentos de origem vegetal só contém a vitamina pela síntese das bactérias presentes.
Sintomas de deficiência: Anemia perniciosa e distúrbios do sistema nervoso.

VITAMINA C (ÁCIDO ASCÓRBICO)
Função: Formação de hormônios e colágeno (evitando rugas, flacidez e ajudando na cicatrização). Aumenta e absorção do ferro.
Fontes: Frutas frescas, especialmente as cítricas. Brócolis, espinafre, pimentão e tomate.
Sintomas de deficiência: Escorbuto (lesões intestinais, hemorragias e fraqueza).

VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS
(solúveis em gorduras)

VITAMINA A (RETINOL)
Função: Essencial para a visão, para uma pele saudável e função imunológica.
Fontes: Laticínios, ovos e peixes do mar (retinol); vegetais folhosos verde escuros e legumes e frutas na cor laranja escuro (caroteno).
Sintomas de deficiência: Cegueira noturna, pele escamosa e seca.
Excesso: pode provocar carotenemia (cor amarelada na pele).

VITAMINA D (CALCIFEROL)
Função: Absorção de cálcio e fósforo. Presente na radiação ultravioleta do sol.
Fontes: Óleos de fígado e peixe. Em pequenas quantidades na gema do ovo e na manteiga.
Sintomas de deficiência: Raquitismo e enfraquecimento dos ossos.

VITAMINA E (TOCOFEROL)
Função: Previne problemas nas membranas celulares.
Fontes: Óleos vegetais, nozes e outras sementes.
Sintomas de deficiência: Possivelmente anemia e esterilidade.

VITAMINA K (FILOQUINONA)
Função: Coagulação sanguínea.
Fontes: Fígado, espinafre, repolho, brócolis, soja e alface (vegetais de folhas verdes).
Sintomas de deficiência: Hemorragias.

*Todos essas vitaminas, como foi mostrado anteriormente, podem estar contidas de forma natural em vários produtos, seja na feira, no mercado ou outros tipos de comércio.  Siga as recomendações de consumo diária para cada uma delas!!!!

Bibliografia:

UZUNIAN, Armênio & BIRNER, Ernesto – Biologia . Vol. Único - 2ª Edição. Ed. Harbra. São Paulo, 2004.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Alimentação e atividade física - Crianças

     A infância é um momento crucial para a formação de hábitos saudáveis para uma pessoa durante toda a sua vida. Contemplar uma alimentação equilibrada com a prática de atividades físicas pode ser decisivo para que problemas sérios de saúde, como a obesidade e diabetes, não apareçam no futuro.  Na figura abaixo, uma sugestão de como montar, no dia a dia, um cardápio balanceado para os pequenos, sem esquecer das recomendações de consumo de água e prática frequente de atividades físicas.
      



      FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!!!!!!!

Fonte: Departamento de Nutrologia - Sociedade Brasileira de Pediatria.

sábado, 22 de setembro de 2012

Organizando a geladeira corretamente

     A geladeira é um local seguro para armazenar os alimentos, pois baixa temperatura impede o crescimento da maioria dos tipos de bactérias que os contaminam. Mas, como todo o cuidado é pouco, limpeza e organização nesse eletrodoméstico garantem a permanência da qualidade de todos os itens. 
         Cada parte da geladeira é destinada para guardar um tipo de alimento, como descrito abaixo:


  • Porta: Os alimentos adequados para serem guardados nessa parte são alimentos que resistem a mudanças de temperatura pelas frequentes mudanças de temperaturas a qual está exposta. São exemplos: refrigerantes, sucos, molhos e condimentos. No caso dos ovos, é aconselhável mantê-los em recipientes nas prateleiras internas.
  • Gaveta inferior: Por ser uma região de temperatura mais amena, os hortifrutis aí armazenados não correm o risco de sofrerem alterações nas suas características.
  • Prateleira inferior: Indicada para guardar frutas e preparações que não sejam a base de molho, leite e saladas já prontas para serem consumidas.   
  • Prateleiras do meio: Destinada ao armazenamento de preparações que serão consumidas em um curto espaço de tempo, produtos já manipulados ou alimentos que deterioram-se facilmente, como doces, sobras de alimentos, maionese e leite.
  • Prateleira Superior: Ideal para o armazenamento de massas prontas, queijos, iogurtes. A temperatura nesse local costuma ser mais baixa.
  • Congelador: Possui temperaturas negativas (abaixo dos -5°C), onde são acondicionados produtos que devem ficar um longo período aguardando preparo ou alguns tipos de produtos industrializados semiprontos (lasanhas, sorvetes e empanados).  Os diversos tipos de carnes devem estar em recipientes separados ou vedados hermeticamente, para que não haja o risco de contaminação cruzada.                
         A limpeza do refrigerador deve ser frequente, com produtos adequados para esse eletrodoméstico.Vale também ressaltar que nas geladeiras mais modernas, a temperatura interna costuma se manter igual em todas as divisões. Sendo assim, o adequado é manter sempre produtos já prontos na parte superior, alimentos já pré-cozidos aguardando para serem servidos no meio e produtos crus (carnes de um lado e hortifrutis de outro) em baixo. Todos esses cuidados fazem de sua alimentação mais saudável.

                 

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Dia do Nutricionista - 31 de agosto



         Ao profissional que é incansável na luta pela qualidade da alimentação!!!! PARABÉNS!!!!
       
         A saúde deve sempre ser prioridade pra todos!!!!!

        É o que o "Semeando Saúde" deseja a todos os Nutricionistas!!! E aos estudantes de Nutrição, que façam valer todos os ensinamentos dessa Ciência em prol do ser humano. Lembre-se: quando o assunto é alimentar-se melhor, não esqueça de procurar um Nutricionista, grande "semeador de saúde"...
     
         Aguardem as novas publicações com dicas de como fazer da alimentação a fonte de equilíbrio e bem-estar para o corpo... Até mais!!!!!!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Feiras livres - dicas de compras

       As feiras livres, apesar da grande concorrência com outros tipos de comércio, como os supermercados e sacolões, ainda tem o seu espaço nas grandes cidades, principalmente nas periferias. A variedade de produtos oferecidos a um bom preço atraem consumidores, mas cuidados essenciais devem ser tomados na hora das compras.
      Ao escolher frutas, legumes e verduras das inúmeras barracas, temos que observar as condições em que se encontram esses alimentos. Evitar o hábito de escolher vegetais apertando demais, para não esmagá-los ou furá-los com as unhas, o que não é higiênico. Muitas vezes, um simples toque com as mãos e a observação com o olhar já basta para selecioná-los bem. Opte sempre pelos produtos que estão em período de safra, pois saem mais em conta e possuem uma qualidade melhor. 
    Hortaliças (como alface, espinafre, acelga) não devem estar amareladas, com manchas escuras e murchas. No caso dos legumes, prefira os que se encontrem íntegros, sem amassos e furos, com a textura lisa. A casca deve ser brilhante, e se for possível manter os talos e as folhas, pois, lembrando, muitas dessas partes podem ser aproveitadas em inúmeros tipos de preparações. Essas partes rejeitadas pelos feirantes, infelizmente, costumam ir para o lixo em muita quantidade. As melhores frutas são aquelas que se encontram no seu ponto de maturação ideal. 
     Outro ponto importante que deve ser considerado é o tempo que os produtos levarão para serem consumidos. Realizar as compras semanalmente é o ideal para evitar desperdícios e possibilitar que o consumo seja feito sempre com os alimentos ainda frescos. Atenção especial também aos muitos feirantes que não tomam o devido cuidado na hora de manipular seus produtos e, logo em seguida, recebem dinheiro dos seus fregueses, deixando a higiene das mãos em segundo plano nesse momento. 
       Um fato que se tornou preocupante  nas feiras livres é a venda de carnes e frutos do mar. Muitas vezes, a comercialização desses itens acontece de maneira errônea, ficando expostos ao ar livre e a temperaturas inadequadas por um longo período. O risco de contaminação que essas carnes podem trazer é enorme, por isso, todo o cuidado é pouco ao adquiri-los. 
       Pelo final da manhã, os comerciantes abaixam os preços e oferecem os produtos que ainda ficaram no seu estoque. Então, devemos fazer uma melhor seleção dos hortifrutis, pois a qualidade tende a cair também. 
      Na barraca do pastel, um ponto tradicional de parada de todos, deve-se atentar a questão do reaproveitamento do óleo da fritura, as condições de higiene na manipulação das massas e do caldo de cana. Com tudo isso feito, é só aproveitar!!! Até mais!!!
           

terça-feira, 17 de julho de 2012

Vamos comer feijão?

    O feijão é um alimento que representa tradicionalmente o hábito alimentar brasileiro. Porém, o seu consumo vem decrescendo nas regiões metropolitanas do Brasil nas últimas décadas. O seu preço de mercado deu um salto, e o tempo de preparo que deve ser destinado a essa leguminosa se contrapõe ao estilo de vida moderno, que exige uma maior agilidade nas tarefas do lar. 
       A grande variedade de cores, tamanhos e formas dão a esse alimento muitas possibilidades de receitas. Podemos fazer desde saladas até sopas. É componente de pratos regionais muito conhecidos, como a feijoada, o baião-de-dois e o acarajé. Existem até doces a base de feijão e o seu broto também pode ser consumido. 
       É rico em proteínas, vitaminas do complexo B e minerais, como ferro, cálcio e fósforo e é grande fonte de energia. Em combinação com o arroz, garante um perfeito equilíbrio de aminoácidos na alimentação.
     O "Guia Alimentar para a População Brasileira", proposto pelo Ministério da Saúde, faz referência a todos os tipos de feijões como parte de uma alimentação saudável, e recomenda o consumo de 1 porção ao dia (equivalente a 1 conha média).
       Porém, deve-se cozinhar obrigatoriamente o feijão, para que se eliminem todas as substâncias tóxicas e fatores antinutricionais. O seu consumo é restrito as pessoas portadoras de cálculos renais, artrite e ácido úrico (gota), pela concentração de ácido oxálico. Também é fermentativo, sendo a sua digestibilidade um pouco mais complexa.


     
      
      Alguns tipos de feijões: feijão-verde, feijão-de-corda, jalo, preto, largo, flageolé,
carioquinha, azuki, fradinho, macassar, guandu e branco.
      
Fontes:
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia4/AG01/arvore/AG01_62_1311200215103.html

BRASIL. MINISTERIO DA SAUDE. Guia Alimentar Para a População Brasileira: Promovendo a Alimentação ,Brasilia: Ministerio da Saude, 2005.

GONSALVES, P. E. Livro dos Alimentos. MG Editores, 2ª ed. São Paulo, 2002. pg. 59 - 61. 

terça-feira, 26 de junho de 2012

Dia do Técnico em Nutrição e Dietética

       No dia 27 de junho é comemorado o dia do Técnico em Nutrição e Dietética. As suas tarefas estão voltadas a prestar auxílio ao trabalho do Nutricionista no que tange a manutenção da segurança alimentar em vários tipos de restaurantes, na verificação das dietas servidas em ambientes hospitalares (incluindo lactários), na adequação de todas as etapas de preparo da merenda escolar, entre outras áreas. 
         Os cursos técnicos têm ganhado muita força no mercado de trabalho atualmente. Esse tipo de ensino dá a possibilidade de rápida inclusão no mercado de trabalho, pois a sua duração é menor se comparado ao curso superior. No caso do Técnico em Nutrição e Dietética, a formação ocorre em um tempo médio de 3 semestres, incluindo o estágio obrigatório.
        Apesar dessa rapidez, ele dá a noção para aquelas pessoas que ainda têm dúvidas se, futuramente, irão partir para a graduação em Nutrição ou seguir para outro ramo, como o da Gastronomia (o que é comum). Já é bem exigida uma postura profissional, pois lidar com situações no ambiente de trabalho em que o seu conhecimento teórico e a ética é fundamental faz parte da sua rotina.
      Portanto, mesmo sem estar habilitado ainda para receitar dietas ou elaborar cardápios, ele é de suma importância no gerenciamento de várias cozinhas nos mais diversos sítios de atuação no ramo da alimentação. Parabéns a todos esses profissionais, pois têm muito a comemorar!!!!!!!   

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Cozimento a vapor


            Cozinhar alimentos no vapor é coloca-los em um recipiente onde o vapor da água contido na parte inferior da panela entre no alimento que ainda está frio. Desse modo, o calor produzido nesse processo irá cozinhar o alimento ao atingir uma certa temperatura. O tempo de cozimento é variável. 
          Existem utensílios próprios para esse método, com divisões onde a água fica na parte inferior da panela e o alimento na parte superior, que possui perfurações para a passagem do vapor. Na panela de pressão, o cozimento é controlado pela quantidade de pressão interna e externa do recipiente, conforme o vapor vai escapando pela válvula. Esse recipiente deve ser hermeticamente fechado e a temperatura que é alcançada pelo cozimento pode ultrapassar os 100°C.
            Há a possibilidade de cozinhar o alimento em pouca água, sem submergi-lo. O vapor produzido irá realizar o processo de cocção na parte não-submersa do mesmo. 
Os alimentos mais indicados para esse tipo de cocção são as hortaliças em geral, peixes, ervilhas e vagem. No caso da utilização do vapor em panela de pressão os cereais, leguminosas e alguns tipos de carne podem ser cozidos por esse meio. Porém, deve-se tomar cuidado com hortaliças, para que não cozinhem demais e percam as suas características.
         Esse tipo de preparação leva menor quantidade de gorduras, é mais rápida (reduzindo até o custos com gás/eletricidade), e faz com que o sabor, a cor e o aroma original do alimento permaneça após o cozimento. Também há uma menor degradação dos nutrientes, conservando-se compostos fitoquímicos e aumentando a sua biodisponibilidade.
        Para que o tempo de cozimento seja ainda menor e as perdas também minimizadas, aconselha-se cortar os vegetais em fatias ou picá-los antes de serem preparados.


Fonte:

ARAÚJO, W M C et al. Alquimia dos alimentos. Vol. 2. Brasília - DF: Editora Senac, 2009. p. 188 – 189.

GRANT, D; JOICE, C. A Combinação dos alimentos. 3ª ed. – São Paulo: Editora Ground, 1994. p.220.

MELO, E. A.; MACIEL, M. I. S.; LIMA, V. L. A. G.; SANTANA, A. P. M. Capacidade antioxidante de hortaliças submetidas a tratamento térmico. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr.= J. Brazilian Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v. 34, n. 1, p. 85-95, abr. 2009.
Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1519-8928/2009/v34n1/a85-95.pdf . Acesso em 05 de junho de 2012.

domingo, 22 de abril de 2012

Hipertensão Arterial

Esse vídeo explica de uma forma bem simples e divertida a hipertensão arterial. Uma boa alimentação influencia muito no controle dos problemas cardiovasculares.


quarta-feira, 4 de abril de 2012

O cálcio e o ferro no organismo feminino

         As mulheres podem apresentar em decorrência do fluxo menstrual uma perda de sangue significativa para o seu organismo. Por esse motivo, os riscos de anemia na população feminina são maiores. Uma alimentação rica em carne vermelha, feijão e vegetais verde-escuros é importante para todo o público feminino, pois esses alimentos são ricos em ferro. Ingerir também com esses alimentos uma fonte de vitamina C (como suco de laranja), aumenta a absorção do mineral no organismo. 
A queda do hormônio estrogênio, com a chegada da menopausa (entre outros fatores), pode acarretar na perda de massa óssea. Esse problema é denominado osteoporose. Tudo isso ocorre porque o esse hormônio está ligado à capacidade dos ossos de captar cálcio, fazendo com que o tecido fique com a aparência “porosa” e mais fragilizada. A susceptibilidade a fraturas é bem maior nesses casos. Por isso, é importante manter a alimentação uma ingestão adequada de produtos ricos nesse mineral, como leite e seus derivados (iogurtes, queijos, etc). A quantidade recomendada é de três porções ao dia (o equivalente a três copos de leite). Os exercícios físicos e a ingestão adequada de vitamina D também ajudam na fixação do cálcio pelos ossos.  



           
Observações: O acompanhamento médico é muito importante, para que se faça a avaliação do uso de medicamentos ou suplementações nos diagnósticos tanto de anemia ferropriva quanto de osteoporose.
Fazer as refeições com a presença de alimentos-fonte de cálcio e de ferro, ao mesmo tempo, pode acarretar numa baixa biodisponibilidade desses dois nutrientes no organismo. Faça o consumo das porções recomendadas dos alimentos-fonte desses alimentos em refeições diferentes.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Alimentos orgânicos

   Os alimentos orgânicos são aqueles cultivados sem agrotóxicos, adubos químicos ou que não sofreram modificações genéticas durante a sua produção. No mercado, esses alimentos são identificados por um selo, que atestam a sua alta qualidade.  
   O solo em que as frutas, legumes e verduras são plantados interferem diretamente nas características finais desses gêneros especiais. Tudo é feito de forma mais artesanal, fazendo com que os nutrientes se fixem mais no alimento, aumentando também a sua biodisponibilidade no nosso organismo. O benefício que os mesmos trazem para a natureza é outro diferencial, já que o solo e a água utilizados não são afetados pela poluição provenientes de resíduos tóxicos dos plantios (não atingem a biodiversidade). 
   Esse tipo de tratamento também se estende a carnes e laticínios, já que os animais que dão origem a esses alimentos recebem tratamento especial durante a sua vida. A sua alimentação é controlada com rações orgânicas e também os métodos de abate são feitos em condições humanitárias. 
  O único porém dos orgânicos para o consumidor é o seu preço final de mercado. Pesquisas mostram que as pessoas ainda ficam apreensivas com relação a esses produtos, pela falta de conhecimento de como eles vieram parar nas prateleiras. Então, pela a sua baixa procura, o valor do produto sobe. 
   O fato é que, se a informação for cada vez maior, o consumo desses alimentos tendem a subir. E quem sai ganhando é a saúde de quem os consome. Na foto abaixo, um exemplo de um belo prato feito com a maioria dos seus ingredientes de origem orgânica. 



Fontes:
http://www.institutoaqualung.com.br/info_ali44.html
ftp://ftp.cidasc.sc.gov.br/agroecologia/Moacir%20Darolt%20Cap%20Qualidade%202009.pdf
http://www.korin.com.br

terça-feira, 6 de março de 2012

Diet e Light: entenda a diferença

   Muitas vezes vamos às compras e nos deparamos com uma infinidade de produtos diferentes na prateleira. Dentre eles, estão os produtos chamados "Diet" e os "Light", que foram criados para ajudar na identificação do tipo dos alimentos. Então, ficamos confusos sobre qual deles é o mais indicado para cada caso. 
   Os chamados "Diet" são voltados para pessoas com necessidades específicas. Ele é isento de um nutriente em sua composição. É importante ressaltar que esse nutriente pode ser açúcar, gorduras, e não necessariamente o valor energético. Muitos produtos desse tipo podem ser isentos de açúcar, por exemplo, mas ricos em calorias por conterem alto teor de gorduras. 
   Já os produtos chamados "Light" são aqueles que apresentam em sua constituição a redução de pelo ou menos 25% de algum nutriente se comparado ao convencional. É uma boa opção para as pessoas que desejam diminuir o aporte calórico da sua dieta, já que para se chegar a esse resultado, algum nutriente teve sua quantidade diminuída (carboidrato, proteína ou gordura). 

                                       Resultado de imagem para diet e light

Alguns exemplos:
Diet: "Biscoito wafer sem adição de açúcar"; "Geleia sem adição de açúcar".
Light: "Margarina Light" - com teor reduzido de gordura;

   Para não restarem dúvidas, esteja sempre atento aos rótulos dos alimentos!!!!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Frutas - Banana

   A banana é uma das frutas mais comuns nas feiras livres e supermercados de todo o Brasil. E não é por um acaso: ela tem a aceitação em todas as classes sociais, paladares e faixas etárias. Seu cultivo ocorre em toda a faixa tropical do planeta, incluindo o Brasil, forte produtor e consumidor de várias espécies diferentes (nanica, prata, maçã, etc.).
  Dentre as principais propriedades nutricionais da fruta, estão: o seu alto poder energético, quantidades significativas de vitaminas A, B1, B2 e dos minerais potássio, fósforo, cálcio e ferro. 
   Existem muitas receitas gostosas e nutritivas que levam banana na sua composição, como doce de banana e salada de frutas. Como uma opção muito boa para o lanche da tarde está a torta de banana.
  
TORTA DE BANANA 



3 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de manteiga derretida
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
6 bananas nanicas
Açúcar e canela para polvilhar

Modo de preparo
1. Bater as claras em neve;
2. Acrescentar as gemas, o açúcar, a farinha, a manteiga e o fermento, misturando bem;
3. Colocar a massa em uma assadeira untada espalhando-a de maneira que a sua altura seja de aproximadamente 2 centímetros;
4. Cobrir com fatias de banana e polvilhar com açúcar e canela;
5. Levar ao forno, já quente, por 20 a 30 minutos.

Dica: Essa receita é indicada para pessoas que são intolerantes a lactose ou apresentam alergia alimentar ao leite. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Gorduras boas X gorduras ruins

  Hoje em dia muito se discute sobre o aumento das taxas de colesterol e das doenças cardiovasculares entre a população. A alimentação inadequada proporcionada pela mudança do estilo de vida nas grandes metrópoles contribui para o agravamento dessa situação.
  Identificar os diferentes tipos de gorduras existentes nos alimentos pode ajudar no direcionamento para o combate desse males tão comuns na atualidade.

  Gorduras Insaturadas
  São de origem vegetal e se encontram mais facilmente na forma líquida. Ajudam no aumento do colesterol  "bom" no sangue (HDL) e também a transportar as vitaminas A, D, E e K no organismo. Suas fontes são os óleos vegetais (como os de canola, soja e girassol), azeite de oliva e peixes de águas salgadas e frias (como o atum e o salmão).

   Gorduras Saturadas
 São de origem animal e se encontram na forma sólida nos alimentos. Estão associadas ao aumento do colesterol "ruim" no sangue (LDL), desencadeador de problemas cardiovasculares. Suas fontes são as gorduras aparentes das carnes vermelhas, peles de frango, bacon, embutidos (presunto, mortadela, salame), leites integrais e seus derivados (manteigas e queijos amarelos) e gema de ovo.

   Gorduras Trans
São as gorduras de origem vegetal manipuladas pela indústria por um processo chamado hidrogenação. São altamente prejudiciais, por esse motivo, estão sendo retiradas de circulação do mercado. É importante estar atento aos rótulos. pois eles descrevem se o produto é isento desse tipo de gordura.


   Para combater o colesterol, portanto, deve-se priorizar o consumo dos alimentos que contenham gorduras insaturadas, hortaliças, frutas, carnes magras e leite desnatado. É importante lembrar que a atividade física também é uma ótima aliada.



  

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Praia, sol e alimentação

  O Carnaval se aproxima, e muitas pessoas vão curtir os dias de folia na praia. Porém, esse é um lugar onde os cuidados com a alimentação não devem ser esquecidos, para que o passeio não estrague por conta de uma toxiinfecção alimentar. Aqui seguem algumas dicas de como evitar as doenças transmitidas por alimentos, muito comuns no litoral:



   - Frituras: Muitas são as opções de pastéis e salgadinhos nos quiosques. Porém, quando fritos, deve-se observar a qualidade do óleo em que eles foram produzidos. Quando esse óleo utilizado na preparação estiver com a coloração muito escura, é sinal que ele está liberando toxinas prejudiciais à saúde. Portanto, os salgados assados são mais seguros de serem consumidos.

   - Exposição a areia e sol: Muitos produtos são vendidos na praia em isopores, como espetinhos de queijo e camarão. Quando esses produtos são vendidos em compartimentos que estão abertos (como isopores), a chance de contaminação bacteriana é muito grande.

   - Milho: Produto muito comum na praia. O ideal é que ele esteja em água fervente, para garantir que não haverá nenhum risco para o produto.

   - Gelo e bebidas alcoólicas: O gelo deve ser produzido com água filtrada e estar devidamente embalado de forma correta. O consumo de bebidas alcoólicas não é recomendado, para evitar desidratação.

   - Água de coco: A faca ou utensílio utilizado para cortar o coco deve estar higienizado corretamente e em boas condições de uso. Evitar consumir a água de coco em copos descartáveis, para que a bebida que está dentro do coco não fique contaminada com o meio externo. Os canudos, melhor opção nesse caso, devem estar embalados individualmente.

   - Traga comida de casa: Prefira montar sua refeição com comidas leves (como sanduíches e biscoitos). Cuidados com as preparações a base de carnes e molhos (como a maionese). Esses produtos devem ser mantidos em caixas térmicas próprias. Prefira os produtos industrializados.

   Dessa forma, a alegria e a saúde estão garantidas nesse e em qualquer outro feriado.




quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Carboidratos - O nutriente da energia

   Os carboidratos são a mais importante fonte de energia da dieta. Ele deve estar presente em maior parte de tudo o que ingerimos durante todo o dia (55 - 75% do Valor Calórico Total, segundo a FAO/2003). Alguns dos alimentos que fazem parte desse grupo são o açúcar, os cereais, os pães, massas e doces.
   São muito recomendados para pessoas que mantêm um ritmo de exercícios físicos elevado, por estabilizar os índices de glicemia. A melhor oferta de carboidratos pode vir dos cereais integrais, pois eles apresentam uma digestibilidade mais lenta, saciando por mais tempo.
   Mas tanto o excesso quanto a falta do seu consumo podem causar problemas de saúde. Ao exagerar desse alimento no cotidiano, corre um sério risco da pessoa ter um aumento no Triglicérides, que é causado pelo "estoque" de energia a mais no corpo em forma de gordura. A falta dele pode levar a um quadro de hipoglicemia, e em casos extremos, perda de massa muscular.
   Para a manutenção da saúde, consuma carboidratos corretamente!!!


   


sábado, 28 de janeiro de 2012

Desperdício de Alimentos: como combater esse problema

   O ato de se alimentar é essencial para a manutenção da nossa vida. A população mundial cresce rapidamente, e a preocupação agora é de como será possível produzir alimentos para as mais de 7 bilhões de pessoas no planeta. Portanto, é muito importante evitar o desperdício.
   Esse problema está presente em toda a cadeia de consumo: desde o plantio (no caso das hortaliças), passando pelo transporte, comercialização e produção da refeição. Muito do que poderia ser aproveitado acaba sendo jogado fora somente por nossa falta de conhecimento.
   Cada  um pode colaborar um pouco para evitar o agravamento do desperdício dos alimentos, por isso seguem algumas dicas de como combater o desperdício:
- Planejando as quantidades dos produtos que irão ser consumidos em cada refeição;
- Aproveitando cascas e talos (que também podem ser boas fontes de nutrientes);
- Mantendo sempre os alimentos em bom estado de higiene e conservação, evitando que eles se deteriorem rapidamente;
- Estando atento ao prazo de validade dos produtos na hora da compra.

   Com isso, estamos fazendo com que a alimentação de outras pessoas também seja garantida.


"Os textos desse blog são apenas informativos. Nada substitui o acompanhamento nutricional realizado pessoalmente".