terça-feira, 10 de dezembro de 2013

7 dicas de compras saudáveis

     Por muitas vezes, a falta de planejamento faz com que as pessoas adquiram alimentos não-saudáveis e sem necessidade nos supermercados. Para que esse problema possa ser resolvido, seguem no vídeo algumas dicas para fazer as compras valerem a pena... Anote os tópicos abaixo se perder algum!



1. Faça uma lista com os itens que deseja e precisa comprar previamente;
2. Pesquise pelos melhores preços, mas também leve em conta a qualidade do item que está adquirindo;
3. Não vá ao supermercado com fome, essa é uma forma para não acabar adquirindo alimentos de baixo teor nutricional e/ou em quantidades acima do que será consumido;
4. Não vá acompanhado, principalmente por crianças. Os produtos que são destinados a esse público geralmente são colocados nas prateleiras de forma a chamar a atenção e forçar a compra; 
5. Preste atenção no prazo de validade, integridade das embalagens e rótulo dos produtos;
6. Não caia nas armadilhas de promoções de ocasião nos supermercados, pois nesses casos a intenção é fazer o consumidor levar mais do que realmente necessita. Tente analisar se a oportunidade é vantajosa;
7. No caso de frutas e hortaliças, esteja atento às safras para uma melhor escolha. Também analise se o alimento está em bom estado, sem avarias e deformidades. 

    Sendo assim, essas são algumas formas para facilitar as escolhas dos alimentos no momento da compra, e ainda, no final, ter economia. Até a próxima!!!! 

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

O que é alimentação saudável?

         Muitas pessoas fazem essa pergunta e a resposta inclui uma série de coisas. A alimentação saudável é preparada com alimentos variados, com tipos e quantidades adequadas à fase da vida. Envolve diferentes aspectos, como valores sociais, afetivos e sensoriais.
         Relaciona-se com cheiro, cores, texturas e sabores. O alimento se torna fonte de prazer, de identidade cultural e familiar.
       
         Uma alimentação saudável deve ser:
- Variada: incluindo todos os grupos alimentares, fornecendo diversos nutrientes; 
- Equilibrada: respeitando as recomendações para cada tipo de alimento;
- Suficiente: em quantidades que atendam as necessidades de cada pessoa;
- Acessível: com alimentos naturais, fáceis de serem adquiridos e também baratos;
- Colorida: quanto mais cores tiver a alimentação, mais nutrientes terá e mais atrativa;
- Segura: Alimentos sem agentes contaminantes (biológicos, físicos e químicos) que comprometam a saúde do indivíduo. Devem ser respeitadas as regras de higiene, manipulação e armazenamento.


           Continue acompanhando as postagens do Blog e aproveite!

domingo, 6 de outubro de 2013

Granola

Ingredientes


- 35g de farinha de trigo integral
- 1 xícara de café de água
- 1/2 xícara de chá de germe de trigo
- 50g de coco em flocos
- 1/4 de xícara de chá de óleo de soja
- Suco de 1 laranja pequena
- 1 xícara de chá de açúcar mascavo
- 1 pitada de sal
- 1 colher de café de essência de baunilha
- 200g de aveia
- 1/2 xícara de chá de castanha de cajú picada

Modo de preparo

- Misture a aveia, a farinha de trigo, o coco, o germe de trigo e a castanha em uma tigela e reserve. Bata no liquidificador o óleo, a água, o açúcar mascavo, o sal, a baunilha e o suco de laranja. Acrescente a mistura obtida no liquidificador aos ingredientes secos reservados. Distribua numa assadeira grande e leve para assar em fogo baixo (180º C)  por aproximadamente 15 minutos. Mexa de vez em quando. Retire quando estiver seco e crocante. Guarde a granola em recipiente hermeticamente fechado para não perder a crocância.

Dicas: Se preferir, acrescente uvas passas e damascos e outras frutas secas a receita após ter retirado os outros ingredientes do forno. Pode ser servida com iogurte, frutas, vitaminas, sorvete ou açaí. 

domingo, 25 de agosto de 2013

Reeducação alimentar X Dietas da moda

     Aproveitando que estamos perto do Dia do Nutricionista, é sempre bom esclarecer a diferença que existe entre fazer uma reeducação alimentar e de seguir uma dieta da moda.
     As dietas da moda geralmente duram apenas alguns dias, são cheias de restrições e sacrifícios para aqueles que tentam emagrecer e são muito reduzidas em calorias, deixando de fornecer ao nosso corpo o aporte necessário de energia e nutrientes que ele precisa. Depois de passados os dias de martírio, a pessoa finalmente perde peso, porém, com o apetite redobrado, acaba consumindo o tanto de calorias ou mais que costumava antes de fazer o "regime"... Então recupera o peso novamente.
     Já com uma reeducação alimentar, o indivíduo aprende a praticar uma alimentação equilibrada e saudável, variando os alimentos no seu cotidiano. Com isso, nada fica de fora do cardápio. As quantidades é que são dosadas, na verdade. O aporte energético e de nutrientes é realizado de acordo com as necessidades da pessoa, tudo feito com o trabalho de um profissional Nutricionista. Os objetivos ao qual a pessoa quer chegar são traçados em metas, que podem ser a curto, médio o longo prazo. Desse modo, os resultados são mais eficazes e duradouros. 
        Portanto, as dietas da moda não são recomendadas... E que a saúde é mesmo garantida com a realização de uma reeducação alimentar. Aprender a se alimentar, do modo correto, é fundamental. Procure sempre um Nutricionista.  


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Higienizando vegetais

    Como já foi abordado aqui no blog, é muito importante que sejam corretamente higienizadas frutas, legumes e verduras. Esses alimentos podem carregar inúmeros organismos causadores de doenças, como bactérias, fungos, vírus e verminoses. Para que todos estejam devidamente protegidos contra esses problemas, siga os seguintes passos: 

1. Lave as mãos de forma correta, com água e sabão;
2. Lave bem o alimento, folha por folha, em água corrente e retire impurezas, como terra, areia, argila, e partes danificadas;
3. Coloque o vegetal imerso em água sanitária diluída em água durante 10
minutos (observe as instruções do rótulo de cada produto, verificando se o mesmo possui 2% de cloro ativo na sua composição durante a compra);
4. Enxágue o alimento em água potável por duas ou três vezes;
5. Seque em papel toalha ou ao ar livre antes de embalar em filme de celulose. A validade é de 24 horas. 

Hipoclorito de sódio fornecido gratuitamente pelo Posto de Saúde
       Há boas marcas de solução clorada especialmente para esse fim no mercado. Os postos de saúde também devem fornecer à população frascos com solução de hipoclorito de sódio gratuitamente. Exija isso no seu bairro!!! 

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Panqueca rosa

Ingredientes (massa):
2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de água
2 ovos
2 colheres (sopa) rasas de margarina
3 colheres (sopa) de óleo
1 pitada de sal

Recheio
1 xícara (chá) de folhas de beterraba picadas
1 xícara (chá) de tomate picado
1/3 xícara (chá) de cheiro-verde picado
1/2 cebola pequena picada
1 dente de alho amassado
1 colher (sopa) de óleo
350 gramas de acém moído
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

     Para a massa, bata todos os ingredientes no liquidificador. Faça o molde em frigideira previamente untada com um pouco de óleo no fundo a cada vez que for fazer as panquecas, para que a massa não grude. 
        Para o recheio, refogue a cebola e o alho em óleo. Acrescente o tomate e os outros ingredientes, misture e deixe cozinhar até que o caldo da carne se dissolva. Logo após, distribua o recheio sobre a massa já feita, e faça rolinhos, para que ela adquira o formato de panqueca. Escolha o molho de sua preferência e distribua por cima das panquecas já colocadas em assadeira. Leve ao forno médio por dez minutos. Sirva quente. 

Dica: Se quiser aproveitar os talos da folha de beterraba, misture a quantidade de 2 xícaras (chá) dos mesmos a massa. Isso fará com que a sua panqueca fique com a coloração rosada. 

Rendimento: 10 porções

BOM APETITE!!!! 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Sazonalidade dos alimentos

     A escolha correta dos alimentos interfere diretamente no seu custo e na sua qualidade. Portanto, escolher bem cada tipo de hortaliça na época certa do ano pode fazer a diferença... Confira no calendário agrícola a melhor época para consumir frutas, verduras e legumes!!! Olhem que é bem interessante!!!





      Confira também as redes sociais interligadas com o blog para ficar sempre atualizado e continuem conferindo e comentando as postagens!
      Instagram: @semeando_saude...

      Até mais!!!
     

domingo, 26 de maio de 2013

Crianças, é hora do lanche!!!

    Muitos pais se perguntam o que pode ser saudável para a hora do lanche na escola para os seus filhos, e muitas vezes, diante de tanta variedade no mercado, fica difícil realizar uma escolha adequada. A seguir, dicas de alguns alimentos que podem ser incluídos sem problemas nessa hora:


Bisnaguinha e pães integrais: Além de uma ótima fonte de carboidratos, ainda tem as fibras que são adicionadas em algumas marcas pela indústria. Coloque no recheio alimentos variados como: queijo branco, requeijão, peito de perú. 



Biscoitos de polvilho: São práticos para levar e as crianças aceitam muito bem, além de, na medida certa, não pesarem muito na balança. Elas podem carregá-los em potes plásticos devidamente higienizados.




 Barrinhas de cereal: Também são fontes de fibras e energia, ocupando pouco volume na lancheira. Existem, hoje em dia, opções de barrinhas voltados especialmente para o público infantil. Porém evite as versões com chocolate, por terem um teor um pouco maior de açúcar na composição. 
 Frutas picadas: As frutas picadas, sem casca, devidamente higienizadas e embaladas, como uva, maçã, pêra, goiaba e melancia são também ótimas opções. As crianças aceitam muito bem. 
 Sucos em garrafinhas: Os sucos naturais podem ser levados nas garrafinhas plásticas, mas lembrando que frutas como laranja, com alto teor de vitamina C, perdem esse poder com a oxidação durante a passagem de tempo. Água de coco pode ser também uma boa escolha para hidratação durante os períodos mais quentes do ano. 




Bebidas lácteas: Iogurtes e leites fermentados são fonte importante de cálcio no período pré-escolar e escolar e também podem contribuir para um bom funcionamento do trato intestinal. Porém, fique atento, pois esses produtos costumam estragar se não forem mantidos em temperatura baixa (até 10ºC).  




       É bom ressaltar que muitos produtos exigem armazenamento em temperatura adequada. Por esse motivo, invista nas lancheiras térmicas. Com toda essa variedade, está garantido um lanche saudável e sem perigo para as crianças!!!

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Fibra Alimentar



   Fibras alimentares são substâncias que o intestino delgado não tem a capacidade de digerir e absorver, passando para o intestino grosso sem alterações. Dentre elas, estão a celulose, hemicelulose, gomas, pectinas, a inulina e o amido resistente. Existem dois tipos de fibra alimentar, que estão em diferentes proporções nos alimentos. Encontramos na aveia, cevada, frutas, verduras e legumes as fibras solúveis. Nos cereais e pães integrais estão grande parte das fibras insolúveis.
    A fibra insolúvel auxilia na diminuição do tempo trânsito intestinal, prevenindo constipações. Esse efeito pode ser potencializado com o consumo adequado de água. Elas inibem o crescimento e proliferação de células cancerígenas e outras doenças do intestino grosso (como a diverticulite).
    A fibra solúvel faz com que a digestão e a absorção dos carboidratos seja mais lenta, controlando tanto os níveis de glicose no sangue, quanto os de insulina. Pessoas portadoras de problemas como a Diabetes têm um melhor controle da doença por meio da alimentação com o seu consumo.
    A consistência viscosa das fibras encontradas na pectina, no farelo de arroz e na aveia ajudam na redução do colesterol total e do colesterol LDL (ou “mau” colesterol). Estudos comprovam que uma dieta rica nos dois tipos de fibras também têm ação contra doença coronariana. A fibra alimentar aumenta o volume da dieta sem acrescentar calorias, causando saciedade, tendo efeito direto na perda ou manutenção do peso corporal.
     Porém, o excesso do seu consumo podem afetar a absorção de minerais importantes ao organismo, como o cálcio e o zinco. Pode haver também desconforto intestinal e formação de gases.




EXEMPLOS DE FONTES DE FIBRA ALIMENTAR: Maçã, aveia em flocos, pão integral, granola, laranja e leguminosas. 

Referência:  
http://www.eufic.org/article/pt/artid/Fibra-Alimentar-Qual-seu-papel-numa-alimentacao-saudavel/

segunda-feira, 4 de março de 2013

Higienizando as mãos corretamente

    Uma das formas principais de se manter uma vida saudável (incluindo os momentos de preparar e ingerir um alimento), livre do ataque de microrganismos que causam doenças, é higienizar corretamente as mãos. No dia a dia as nossas mãos, sem querer, acabam se tornando o meio de transporte até a nossa boca para esses seres microscópicos. E, ao entrarem em nosso corpo, as bactérias perigosas causam verdadeiros estragos.  Por isso, em seguida, está descrito todo o procedimento correto para a lavagem das mãos:   

    Passo a passo de como realizar a higienização simples das mãos segundo a ANVISA: 

1- Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar-se na pia;
2- Aplicar na palma da mão a quantidade suficiente de sabão líquido para cobrir toda a superfície das mãos;
3- Ensaboar as palmas das mãos friccionando-as entre si;
4- Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda, entrelaçando os dedos, e vice-versa;
5- Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços entre eles;
6- Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos, com movimento de vai e vem e vive-versa;
7- Esfregar o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda, utilizando-se de movimentos circulares, e vice-versa;
8- Friccionar as polpas dos dedos e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada com concha, fazendo movimento circular e vice-versa;
9- Esfregar o punho esquerdo com o auxílio da palma da mão direita, utilizando movimento circular, e vice-versa;
10- Enxaguar as mãos, retirando os resíduos de sabão no sentido dos dedos para os punhos. Evitar contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
11- Secar as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos. Desprezar o papel-toalha em lixeira própria, com pedal. Na ausência de papel-toalha, secar as mãos naturalmente do ar. No caso de torneiras com contato manual para fechamento, utilize o papel-toalha.


    A aplicação de álcool gel 70% depois de terminado esse processo torna a higienização mais eficiente.  É essencial lavar as mãos ao entrar e sair de sanitários, antes e após a manipulação de alimentos, de dinheiro, de lixo, entrar em contato com animais (domésticos ou não), ao voltar da rua, descer do transporte público e ao tossir ou espirrar. Esses cuidados tornarão as refeições muito mais agradáveis e seguras. 

Até a próxima!!!!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Descongelamento de carnes

     O congelamento é uma forma bem moderna de armazenar alimentos perecíveis por um bom tempo, como as carnes. Porém, no momento em que resolvem usar o mantimento do freezer, muitas pessoas não sabem quais são os procedimentos corretos para que sejam evitadas as temíveis contaminações que podem ocorrer durante a retirada da camada de gelo formada durante esse período. Portanto, seguem algumas orientações de como realizar, com segurança, o descongelamento de carnes: 


- Primeiramente, planeje o cardápio do dia. O descongelamento deve ser um processo lento, que pode durar até 2 dias, e não feito em cima da hora de preparar o alimento.
- Após retirar o alimento do freezer, é aconselhável que o descongelamento aconteça em refrigeração (temperatura de 2º a 10ºC). 
- Em casos especiais, esse processo pode ser feito em microondas ou água corrente. O segundo caso exige uma atenção especial para que se evite o desperdício de água (que é utilizada em grande quantidade) e também não deixar que o líquido que extravasa da carne se acumule, pois ele pode ser o estopim para multiplicação bacteriana. 
- Higienizar bem todos os utensílios utilizados durante todo o processo é fundamental.

       Uma boa refeição começa com todos os cuidados no pré-preparo. Isso garante mais saúde na mesa!!!!

Fontes:
http://www.vitello.com.br/?n=53&l=pt&np=9
http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/doc/doc77/03nocoescarne.html

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Adoçantes

      Atualmente, são inúmeras as opções de adoçantes existentes no mercado. Diabéticos e muitas pessoas que procuram por esses produtos por ser uma alternativa ao açúcar comum não imaginam que eles podem ser bem diferentes quanto ao seu poder adoçante, sabor residual e origem (natural ou sintético). Vale ressaltar também que a sua ingestão deve ser controlada, e sempre orientada, se possível, por um profissional Nutricionista. 

Stevia

     A stevia é um tipo de adoçante natural, sem contra-indicações de uso, derivada de uma planta nativa do Paraguai. Pode ser utilizado para fins culinários, podendo sofrer aquecimento sem perda de qualidade e adoça cerca de 400 vezes mais do que o açúcar comum. Normalmente, ele pode acabar por deixar um sabor residual amargo no paladar.


Sucralose


     A sucralose é uma substância quimicamente similar ao açúcar, porém o organismo não é capaz de absorvê-lo através da digestão (por esse motivo é considerada zero caloria). Possui um poder de doçura cerca de 600 vezes maior que o da sacarose (açúcar comum), sendo também comercializada na forma de pó ou líquida. É amplamente usada pela indústria de alimentos para o desenvolvimento de bebidas e alimentos com baixo teor energético. Não foi comprovada nenhuma contra-indicação para o seu uso, sendo muito incluído no plano alimentar de pacientes diabéticos. É conhecida por não deixar sabor residual amargo.

Ciclamato


    Esse edulcorante sintético possui um sabor residual que vai do doce ao azedo. Possui um poder adoçante de 30 a 50 vezes maior do que a da sacarose e uma longa vida de prateleira. Pelo Brasil, vem sendo usado na fabricação de bebidas gaseificadas dietéticas e é altamente solúvel em água. A legislação impõe limites a utilização desse produto pela suspeita de que o seu uso excessivo seria o responsável pelo desenvolvimento de alguns tipos de câncer.


Acesulfame k
     
       Um diferencial dessa substância é o de não ser cariogênica. Sendo cerca de 180 vezes mais doce do que a sacarose, seu poder adoçante no paladar é instantâneo e vai caindo sutilmente. É usado prontamente como substituto do aspartame em muitas formulações, e serve tanto como adoçante de mesa, na fabricação de bebidas semidoces e carbonatadas, doces enlatados e gomas de mascar combinado com outros edulcorantes. Não é metabolizado por seres humanos (99% dele é excretado), e não possui efeitos tóxicos para o organismo.


Sacarina 

     É um produto sintético de sabor ligeiramente amargo. Adoça de 200 a 700 vezes mais em comparação com a sacarose e seu poder calórico é nulo. O sabor doce fica mais evidente momentos após a sua ingestão. Em conjunto com o ciclamato, não deixa sabor residual e é facilmente diluído em água. Sua utilização excessiva também já esteve ligada a casos de câncer de bexiga, porém atualmente seu uso controlado é liberado.

Aspartame


       Esse tipo de adoçante é derivado da combinação do ácido aspártico com a fenilalanina (por isso seu uso é contra-indicado aos fenilcetonúricos). Como substituto da sacarose, possui um poder de doçura de 120 a 200 vezes se comparada a ela. Não possui sabor residual, e potencializa aroma e sabor nas frutas cítricas. O sabor amargo também fica mais acentuado com a sua adição. É utilizado como adoçante de mesa e na fabricação de doces, refrigerantes e produtos lácteos. 


Fontes:
http://sucralose-brasil.org/facts/default.asp
http://www.diabetes.org.br/colunistas-da-sbd/observatorio-cientifico/790-a-versatilidade-do-acesulfame-k
http://www.diabetes.org.br/perguntas-e-respostas/110
http://www.entrenalinea.com.br/sucralose-versus-stevia/

sábado, 5 de janeiro de 2013

Rotulagem dos alimentos



     Esse vídeo produzido pela Faculdade de Saúde Pública da USP demostra de maneira bem simples como é importante estar atento aos rótulos na hora de consumir um alimento, os quais contém informações sobre os componentes do produto e as suas informações nutricionais, podendo ser útil na hora de optar por algo mais saudável ou ás pessoas que possuem restrição a algum componente na dieta (como glúten ou sódio, por exemplo). Lembrando também que devemos sempre verificar a data de validade e as instruções de armazenamento correto, que são obrigatórias. 

     
"Os textos desse blog são apenas informativos. Nada substitui o acompanhamento nutricional realizado pessoalmente".