sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Alimentos cancerígenos e acrilamida

           Nessas últimas semanas, muito têm se falado sobre os efeitos de alguns alimentos sobre a saúde humana, sendo esses classificados como cancerígenos por órgãos importantes. Primeiramente, vou citar a questão dos embutidos. O consumo de carnes processadas em excesso, como linguiça, bacon, salame, entre outras, foram apontadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como prejudiciais a saúde humana. No seu relatório, a OMS afirma que chegou a essa conclusão embasada nos inúmeros estudos realizados na última década relacionando a ingestão de, pelo ou menos, 50 gramas ao dia desses alimentos com o surgimento de câncer colorretal em 18%. 
            Devemos lembrar, porém, que o relatório não sugere que as pessoas deixem de consumir carnes em geral, mas apontam o risco da alta ingestão das carnes processadas que possuem um teor mais elevado de sódio, conservantes e outras substâncias que ajudam na sua maturação.
          Outra questão que surgiu durante essa semana foi a de que a substância acrilamida, formada em certos alimentos geralmente ricos em amido (batatas, pães, torradas, biscoitos, etc) preparados em altas temperaturas, seria cancerígena. A cor mais escurecida nesses alimentos apontaria a presença da substância.
         Um relatório científico publicado pela Agência de Normas Alimentares do Reino Unido (FSA) apontou os riscos do consumo e indicou algumas medidas para que possa ser evitada a formação da acrilamida durante o preparo dos alimentos.
           Não deixar que os alimentos escureçam demais ao cozinhá-los; Reduzir a ingestão de frituras e alimentos industrializados; Dar preferência pelo cozimento a vapor; Utilizar pouca água no cozimento, sem deixar o alimento muito tempo nesse processo. No caso das batatas fritas, uma boa dica é deixar as batatas de molho em uma solução de vinagre (proporção 1:3) antes de aquecê-la. Todas essas medidas, visam, portanto, limitar a ingestão e a formação da acrilamida no preparo dos alimentos, sem cortar qualquer alimento específico da dieta.
              
             Para mais novidades, não deixe de acompanhar o Blog Semeando Saúde e nos seguir nas redes sociais... Compartilhe e comente! Até mais!!
Facebook: /blogsemeandosaude
Instagram: @semeando_saude

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Linhaça, quinoa e chia - dicas de como utilizar!!!

- Linhaça: Temos 3 tipos: Marrom, Dourada, e Dourada em forma de Farelo. Todas têm praticamente os mesmos benefícios. A marrom é mais crocante e um pouco mais amarga. A dourada em forma de farelo deve ser consumida para quem quer extrair os benefícios funcionais, ou seja, bem estar específico para os tratamentos. Para quem tem constipação intestinal a linhaça dourada em farelo é melhor porque já vem com a fibra moída e com isso se adapta com mais facilidade no intestino. Melhor forma de consumir é do jeito que compramos para não estragar as propriedades.

Recomendação: 1 a 2 colheres de sopa/dia (30g).



- Quinoa: Não possui glúten sendo ideal para as pessoas que tem a doença celíaca. A quinoa geralmente é vendida na sua versão em pó, ficando parecida com a aveia moída, mas também pode ser encontrada como grão inteiro. Em ambos os casos a quinoa tem todos os seus nutrientes conservados e o consumo diário não deve ser feito em quantidades elevadas. Pode ser consumida em saladas, com leite, iogurte, substitui a farinha de trigo, misturando com sucos e vitaminas ou frutas.
Recomendação: 1/4 a 1/2 xícara de chá/dia (1/4 xíc de chá = 45g).


- Chia: Seu principal componente é o ômega 3, encontrado em teor mais elevado do que o na linhaça. Contém também fibras solúveis e insolúveis, proteína de fácil digestão e minerais como cálcio, magnésio e potássio. Existem três formas de consumí-la:
Grão “in natura”: pode ser consumido puro com um pouco de água ou, com cereais matinais, sopas, saladas, iogurtes, sucos, vitaminas, frutas ou misturado na comida.
Farinha: pode ser adicionada no preparo de massas, pães e bolos ou acrescentada a alimentos já preparados.
Óleo: usar como tempero, adicionado em alimentos que serão consumidos frios como, por exemplo, em saladas. Lembre-se que na forma de óleo não se pode contar com os benefícios das fibras, encontradas na farinha e no grão “in natura”. Pode ainda ser encontrado em forma de cápsulas.
Recomendação: 1 colher sobremesa/dia (25 g).


IMPORTANTE: Realize o consumo desses grãos com uma ingestão correta de água, para que se tenha os benefícios.
        Gostou das dicas? Não deixe de seguir o blog nas redes sociais!!! Até mais!!
Instagram: @semeando_saude
Facebook: /blogsemeandosaude
"Os textos desse blog são apenas informativos. Nada substitui o acompanhamento nutricional realizado pessoalmente".