sexta-feira, 31 de março de 2017

Introdução alimentar - dicas para o seu bebê

   A introdução alimentar é uma fase muito importante no desenvolvimento dos bebês. É o momento em que a amamentação exclusiva dá lugar a outros tipos de alimentos, e isso ocorre por volta dos 6 meses de idade. Portanto, mães e responsáveis devem estar atentos aos cuidados durante essa época com a alimentação.
  • Comece oferecendo os alimentos aos poucos, em pequenas quantidades e um alimento por vez. E o mais importante, a amamentação deve continuar;
  • Ofereça primeiro frutas, pois elas têm um sabor doce como o leite materno;
  • A quantidade inicial, aos 6 meses, da papinha deve ser por volta de 3 colheres de sopa e vai aumentando até chegar a 1 tigela de 250 ml aos 12 meses;
  • Não é recomendável a utilização de liquidificador para a produção da papinha, pois alguns nutrientes podem se perder dessa forma. Amasse bem com um garfo ou outro utensílio até que se chegue a textura de purê. Essa textura auxilia a mastigação e o desenvolvimento da deglutição nos bebês.
  • A temperatura dos alimentos não deve ser nem quente e nem muito fria. As papinhas podem ser armazenadas em pequenos potes na geladeira (2 dias) ou freezer (1 mês), e não devem ser reutilizadas sobras. 
      Em seguida, exemplo de como pode ser feito o esquema alimentar diário de alimentação para os bebês de 6 a 12 meses:


onte: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/entenda-o-sus/51846-5-dicas-importantes-sobre-introducao-alimentar

sexta-feira, 3 de março de 2017

O que são antioxidantes? #nutriresponde

            Muito se têm falado sobre os antioxidantes e seus efeitos sobre o nosso organismo. Mas o que são, e onde podemos encontrá-lo para consumí-los de maneira segura, trazendo os tão esperados benefícios? Antes de mais nada, temos que entender o que são os radicais livres, e como os antioxidantes podem combatê-los.
             Os radicais livres são moléculas produzidas pelo nosso organismo, mais precisamente pelas células, em reposta a alguns danos a qual somos expostos no nosso dia-a-dia, como a má alimentação, poluição, tabagismo, doenças, uso inapropriado de medicamentos, o próprio envelhecimento, entre outros. A geração de uma grande quantidade de radicais livres pode levar a morte celular ou a mutações que podem ser cancerígenas.

     
          Os antioxidantes, por sua vez, são substâncias que atuam em defesa contra essas moléculas, protegendo, reparando e até reconstituíndo lesões. Os antioxidantes são encontrados em vários tipos de vegetais que podem, e devem, estar incluídos de forma correta na alimentação. Dentre eles, estão:
- Betacaroteno: presente nos alimentos alaranjados, amarelados e verde-escuros, como a couve, espinafre, mamão, abóbora, cenoura, agrião, entre outros. É um percursor importante da vitamina A, atuando na proteção de tecidos, como pele e olhos.
- Vitamina C: presente principalmente nas frutas cítricas, como laranja, limão e acerola. Atuam no fortalecimento do sistema imunológico e nos processos de cicatrização. 
- Vitamina E: componente de grãos e sementes oleaginosas, como nozes, castanhas, amêndoas. Também encontrados na couve, abacate, alface, laticínios e carnes magras. Auxilia na proteção de doenças como artrite e catarata.
- Flavonóides: encontrado em sucos de uva e vinhos tintos, morangos, nozes e soja. Ajudam principalmente na prevenção contra danos no sistema cardiovascular.
- Catequinas: presente principalmente em chás, como o chá verde ou o chá preto. Atuam na regulação de processos metabólicos e na prevenção de tumores, diabetes e cardiopatias.
- Licopeno: Presente em alimentos avermelhados, como o tomate, melancia e goiaba. Protegem o organismo da formação de processos tumorais. 

              Gostou? Então, para ficar atento às postagens acompanhe as redes sociais:
Instagram: @semeando_saude
Facebook: /blogsemeandosaude
Até mais!!!!

Fontes: http://www.anutricionista.com/o-que-os-antioxidantes-fazem-por-nos.html
            http://www.scielo.br/pdf/rn/v12n2/v12n2a01.pdf

"Os textos desse blog são apenas informativos. Nada substitui o acompanhamento nutricional realizado pessoalmente".